Carlesse e deputados definem aprovar todas as matérias sobre a PC; MP vai reduzir congelamento para 24 meses

0

Após cerca de três horas de conversa pela manhã, governador Mauro Carlesse (PHS) e os deputados estaduais decidiram que vão aprovar em reunião conjunta das comissões da Assembleia na tarde desta quarta-feira, 27, todas matérias relacionadas à Polícia Civil, inclusive o polêmico Manual de Procedimentos da Polícia Judiciária, da forma como foi enviado pelo Executivo. “O clima não é bom no governo e na Assembleia em relação à Polícia Civil”, afirmou um parlamentar que participou da reunião, mas que preferiu não se identificar.
Conforme essa fonte, o deputado estadual Amélio Cayres (SD) se emocionou ao falar do irmão que foi preso por engano e solto em seguida numa operação que tinha servidores do Naturatins como alvo semana passada.
O secretário estadual de Segurança Pública, Cristiano Sampaio, vai à AL agora à tarde apontar as alterações possíveis nas matérias da PC, mas apenas questões menores. Os itens mais polêmicos não sofrerão mudanças.
Sobre a Medida Provisória número 2, que trata do congelamento por 30 meses das progressões, o governador aceitou reduzir esse período para 24 meses. Deputados defendiam 18 meses.
Essa MP só deve ser votada em reunião conjunta das comissões nesta quinta-feira, 28, após audiência pública prevista para as 10 horas, com a presença de sindicatos e secretários de Estado. A audiência foi convocada pelos presidentes das comissões de Finanças, Nilton Franco (MDB), e de Defesa do Consumidor, Elenil da Penha (MDB).
A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Procuradores não será arquivada agora, mas ficará na “geladeira”, sem prazo para voltar à pauta.
Até esta quinta-feira, todas essas matérias serão votadas em reunião conjunta das comissões e ficarão prontas para o plenário, que ainda deverá aprovar nesse mutirão o orçamento de 2019.
Mensagem dura
Na reunião mesmo, o governador ficou apenas na última hora, mas a conversa começou duas horas antes entre os deputados. Ao chegar, Carlesse falou sobre a situação do Estado e das medidas de enxugamento e de reenquadramento que tem adotado.
Mas, conforme outro parlamentar segredou ao CT, a mensagem dele foi dura: “Quem está comigo apoia e vota. Quem não está, não vota. Tem que ter ônus e bônus”, avisou.
O recado, conforme o deputado, foi muito bem entendido e a pauta estará limpa até esta quinta-feira.
FONTE: CLEBER TOLEDO

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.